Há alguns anos, o freio ABS já faz parte da rotina de praticamente todo motorista brasileiro. Por ter se tornado tão comum, muitos não se dão conta de que esse componente é um dos aliados mais importantes na estrada.

Afinal, independentemente da experiência no volante ou da qualidade do terreno, todo condutor precisa garantir uma frenagem de máxima qualidade.

Isso é justamente o que o ABS oferece. Trata-se de um sistema antitravamento que confere mais controle e eficiência ao frear. Seu uso agrega mais segurança à direção e pode ser decisivo para preservar a integridade do veículo e até mesmo salvar vidas.

Você já deve ter ouvido falar que o freio ABS é obrigatório e muito superior ao convencional. Mas, qual sua real importância? Como ele funciona exatamente? Veja os detalhes a seguir. 

Qual o conceito de freio ABS?

O sistema de freio ABS, ou Anti-lock Braking System, é um componente automotivo projetado para evitar o travamento das rodas durante a frenagem. 

Ele funciona controlando a pressão do freio de forma independente em cada roda, permitindo uma frenagem mais eficiente e mantendo a capacidade de direção do veículo durante uma parada brusca. 

Sua principal função é melhorar a estabilidade e o controle do veículo em situações mais intensas.

Essa tecnologia foi desenvolvida em 1978 pela fabricante Bosch e utilizada inicialmente nos carros da BMW, nos modelos de passeio da Mercedes-Benz e pelos veículos produzidos no Japão. 

Seu surgimento foi fruto da expansão no uso de sistemas eletrônicos e válvulas eletromecânicas no setor automobilístico.

No Brasil, desde 2014, todo automóvel fabricado, seja nacional ou importado, deve possuir obrigatoriamente o Anti-lock Braking System. Trata-se de uma exigência prevista na resolução n.° 380 do CONTRAN.

Leia também: Cuidado: 5 infrações que geram multa e muita gente não sabe

Por que seu uso é importante?

Mais que uma exigência legal, o freio ABS é importantíssimo para a segurança do motorista, dos passageiros e até mesmo dos pedestres e demais condutores.

Durante uma frenagem, é indispensável manter o controle sobre o veículo para conseguir desviar de obstáculos. Isso ocorre quando as rodas dianteiras continuam em movimento, pois é essencial manter o atrito para efetuar a frenagem. 

Se as rodas forem imobilizadas, ocorre a perda de atrito, resultando na perda de resposta aos comandos do volante e levando os pneus a derraparem em vez de pararem. 

Ao evitar o travamento das rodas durante a frenagem, o freio ABS garante que o motorista mantenha o controle direcional do veículo. 

Graças à maior estabilidade do veículo, isso melhora significativamente a eficiência da frenagem, reduzindo a distância de parada em emergências e minimizando o risco de derrapagens.

Portanto, o ABS é fundamental para evitar colisões e garantir a segurança dos ocupantes do carro e outros usuários da estrada, prevenindo acidentes e maximizando a segurança rodoviária.

Leia também: Carro soltando fumaça branca quando acelera? Saiba o que pode ser

Como o Anti-lock Braking System funciona?

Para controlar o freio, o sistema ABS libera e contém alternadamente a rotação da roda, garantindo que ela não trave. Seu funcionamento é baseado em 4 componentes principais:

  • Um sensor de velocidade posicionado em cada roda do veículo;
  • Controlador eletrônico para monitorar os sensores de velocidade;
  • Bomba hidráulica com fluido de freio;
  • Quatro válvulas hidráulicas que recebem o fluido.

Hoje em dia, os automóveis têm sensores nas rodas que enviam sinais o tempo todo para o controlador eletrônico do freio ABS. Eles conseguem verificar aproximadamente 20 vezes por segundo qual a velocidade de rotação do pneu e do próprio veículo. 

Quando uma das quatro rodas desacelera de forma incompatível com a velocidade atual do carro, o sistema identifica que ocorreu uma freada brusca. 

Assim, no momento em que a velocidade da roda cai muito em relação à do automóvel, sua válvula hidráulica é acionada, diminuindo a força de frenagem aplicada nela, permitindo que a roda gire mais rapidamente.

Ou seja, quando há a iminência de que uma das rodas irá travar, o sistema do freio ABS alivia a sua pressão. 

Para que essa diminuição não impeça que o carro pare, o freio é acionado novamente. Isso ocorre de maneira alternada, como um “prende-e-solta”, que alivia o pedal várias vezes em questão de segundos.

Nesse processo, quando a roda retoma velocidade, a válvula insere novamente pressão para segurá-la. Os dois ciclos do processo ocorrem em uma frequência de cerca de 15 vezes por segundo. 

Durante essa ação, muitos condutores sentem o pedal do freio vibrar, o que costuma gerar certo receio nos menos experientes. Veja abaixo como agir nessas situações. 

A vibração do pedal é normal?

Ao dirigir um automóvel com freio ABS, você já deve ter notado que o pedal produz trepidações durante a frenagem.

Em um primeiro momento, a vibração e o ruído podem fazer parecer que o carro está com defeito. Entretanto, é justamente o contrário. Esses são os sinais esperados quando o ABS entra em ação.

Quando o pedal está totalmente pressionado, o sistema atua para aliviar o contato das lonas com os tambores e das pastilhas com os discos. Isso ocorre inúmeras vezes enquanto a frenagem ocorre.

Esse movimento de soltar e pressionar os componentes do freio é que faz com que as rodas não travem. Então não solte o pé do pedal quando ele trepidar. Mantenha-o firme para o ABS cumprir sua função.

Condutores acostumados com os freios tradicionais sabem que os sistemas antigos exigiam cautela na pisada. Por isso, é normal que eles tenham o impulso de aliviar a pressão. 

Entretanto, isso não deve ser feito com o ABS. Por conta do seu funcionamento, o ideal é usar o pedal com força máxima e segurar firme até que o veículo pare, mesmo que ocorram vibrações quando o sistema for acionado com muita exigência.

Agora que você já sabe tudo sobre freio ABS, continue bem informado com as dicas de quem é referência na venda de imóveis na Grande Florianópolis. Clique aqui e confira as últimas publicações do blog da Automotivo Shopping.

Leia também: É possível colocar airbag novamente?